Directórios

Funcionam através de um sistema de pesquisa mas a informação já foi sujeita a um tratamento editorial.
Numa pesquisa normal o resultado é dado pela relevância. Na pesquisa de um directório os dados obtidos já foram seleccionados, validados  e, habitualmente, estão agregados em temas.
Alguém fez uma selecção, em alguns casos até editou o conteúdo associado ao link (a descrição do apontador) e sistematizou essa informação, em função do tema, do país ou da região. 
 
Os directórios são catálogos. Agrupam os conteúdos por categorias– Cultura, Desporto, Ciência, ...e, depois, cada um destes temas pode ser divido por sub-categorias, que, por sua vez, podem ser divididas em novas colecções de apontadores.
O processo pode ser repetido, partindo-se assim do geral para o particular, com uma organização piramidal.
Daí o nome de directório.

Em Portugal um dos melhores exemplos é o directório do Sapo. Tem 12 categorias principais.
Os sites são validados e os utilizadores são incentivados a sugerirem endereços de páginas electrónicas.

A nível internacional, entre os grandes portais, destaca-se o directório do Yahoo . Tem 14 categorias principais e todos os sites são avaliados.  Um dos critérios de avaliação é se o site proposto tem uma finalidade comercial. O Yahoo faz ainda a divisão em função do país ou região onde está localizado o site.
Tal como sucede no Sapo, o Yahoo tem igualmente um serviço para sugestão de sites.

Quem fez o trabalho prévio de edição pode ter tido em conta critérios de relevância, uma grande procura do tema, mas também pode ser um link de uma instituição que, apesar de não ser muito pesquisado, tem uma grande variedade de conteúdos digitalizados. Há ainda critérios comerciais.
Por outro lado, quase todas as empresas que têm directórios recolhem sugestões de utilizadores que são depois validadas. Em alguns casos as sugestões são gratuitas, em outras circunstâncias, tem de se pagar para ser divulgado o apontador. 
Um dos maiores directórios, o DMOZ Open Directory Project é construído e mantido por uma vasta comunidade de editores voluntários.

Alguns dos maiores motores de pesquisa, nacionais e estrangeiros, quando surgiram, apostaram  muito no processo de organizar a informação num directório. 
No entanto, com a evolução das ferramentas de pesquisa e com a fácil aprendizagem deste processo de recolha de informação, os directórios deixaram de ser uma aposta determinante.
Em alguns casos até constituem um problema. Há informação que fica desactualizada, é um trabalho permanente e cada vez mais complexo e oneroso.
Para se ter uma noção do volume de apontadores, nas sub-categorias de “Entretenimento” do directório do Sapo, estão registados cerca de 25 mil apontadores. No Yahoo são mais de 120 mil.
Validar, inserir estes dados e verificar se continuam online se não alteraram significativamente os seus conteúdos é um trabalho muito complexo e oneroso.
Nem sempre os resultados são satisfatórios. Assinale-se ainda que um bom sistema de pesquisa consegue recolher muitos mais links do que várias pessoas a inserirem dados num directório.
Para ultrapassar estes problemas alguns motores de pesquisa optaram por um processo misto.
Apresentam com maior relevância os resultados do seu directório e depois os resultados do motor de pesquisa.
Aos utilizadores é deixada a liberdade de escolher embora, nem sempre, é perceptível essa diferença.
O mesmo sucede com as chamadas “adwords”.
São pequenos anúncios que também aparecem nas páginas dos resultados de pesquisa. Habitualmente têm a referencia de Publicidade  mas, a forma como são apresentados é muito parecida com os resultados da pesquisa.
Trata-se de um conteúdo comercial que é seleccionado em função do tema da pesquisa que está a ser efectuada.
Se fizer uma pesquisa sobre “hotel” ou “carro” as adwords que aparecem são também diferentes e estão relacionadas com o termo procurado.
Há ainda outras variáveis que têm a ver, por exemplo, com o local de onde está a aceder à Internet, adaptando-se assim a publicidade à referencia geográfica do utilizador.
Este é um conteúdo pago e o mais caro é o que aparece em primeiro lugar. 

Refira-se, por último, que algumas empresas especializadas aderiram aos meios digitais e criaram os seus directórios. É o caso das “Páginas Amarelas”, cujos resultados, aparecem em vários motores de pesquisa.